Dicas importantes ao trocar de combustível em um carro flex

Afinal, um carro flex pode trocar de combustível, ou será que é necessário fazer a troca de compartimento caso decida trocar ou até mesmo misturar álcool e gasolina? Essa é uma dúvida comum que pode ser facilmente entendida a seguir, junto às demais dicas sobre este assunto.

A resposta para aqueles que se questionam se carro flex pode misturar ou trocar de combustível no tanque é sim, mas entenda o motivo. Ainda que não recomendada esse tipo de prática, os motores de carros flex foram desenvolvidos para suportar qualquer tipo de combustível, e também para a mistura deles. Um exemplo, é o Fiat Mobi, o qual é um carro flex e ao comprá-lo usado, você pode não obter a informação de qual combustível era utilizado pelo antigo proprietário, fazendo assim você passar a abastecer com o qual está dentro do seu orçamento.

Vale ressaltar que, as fabricantes de veículos sempre fazem o primeiro abastecimento, ainda na linha de montagem, com etanol, pois essas só produzem carros flex. Então não há motivos para misturar os dois combustíveis. Mas, como a gasolina é mais comum e o etanol é mais barato, há quem opte por misturar os dois. Isso, referente a carros novos. Carros usados, podem sim utilizar essa mistura ou apenas um dos combustíveis, porém se o carro está sendo revendido por uma loja, dificilmente você terá essa informação. Mas se a negociação está sendo feita diretamente com o proprietário, vale a pena se informar para que, caso futuramente haja algum problema no motor você possua essa informação e repasse ao seu mecânico.

É comum que donos de veículos optem pela troca de combustíveis, visando que há momentos em que um é mais vantajoso que o outro financeiramente falando. Afinal, é apenas calcular consumo e preço de cada um para chegar a qual é mais vantajoso.

Além de trocar, é possível misturar álcool e gasolina em um carro flex. Cada combustível reage de forma diferente, de modo que a potência do propulsor possa variar de acordo com qual está sendo utilizado. Mas, como o sistema do veículo idêntica com qual deles o carro foi abastecido? É bem simples. Há um mecanismo chamado Sonda Lambda aplicado no escapamento. Esse é responsável por identificar qual combustível está sendo utilizado, e de acordo com a quantidade de oxigênio da combustão que passa por esse recinto é possível identificar quais foram misturados.

Mesmo que não haja problema em fazer a mistura ou troca dos combustíveis utilizados no carro flex, é recomendável o total cuidado ao mudar bruscamente o combustível entre o álcool e a gasolina. Uma das dicas é que mantenha um tempo com o mesmo, ao invés de fazer essa trocar a cada reabastecimento do veículo.

Afinal, a troca de combustível feita da maneira certa ajuda a prolongar a vida útil do seu veículo, evitando problemas como a falta de lubrificação no motor. Vale ressaltar, que você deve verificar o grau de combustivel no motor de forma regular, além de fazer a substituição do produto de acordo com os prazos estabelecidos pelos profissionais da área de manutenção do seu veículo. O Renault Kwid, por exemplo, resiste facilmente a troca de combustíveis e apesar de ser um veículo robusto na sua categoria, ainda sim não está impune de obter problemas referentes ao motor.

Caso você tenha mudado o combustível do seu carro e ele simplesmente parou de funcionar. Aí vai uma dica: Deixe o veículo desligado, vire a chave até ativar as luzes do painel, pise fundo no acelerador e dê a partida. Se porventura, o carro não funcionar, abra o capô e encontre o TBI, pois ele tem a funcionalidade de controlar a entrada de ar no motor direcionando-a até o cilindro, ajudando no funcionamento da marcha e na aceleração. Desconecte o plugue e dê partida de novo. Ao fazer esse procedimento, você irá reiniciar todo o sistema do veículo e fazer com que a injeção eletrônica reconheça o novo combustível utilizado.

Fez de tudo, e não resolveu? Então leve o seu veículo até um mecânico de confiança. Afinal, ele entende e irá conectar um scanner automotivo na injeção eletrônica, mediante a porta OBD localizada debaixo do volante, e modificará o combustível que o sistema eletrônico estiver reconhecendo no seu veículo.

Vale ressaltar também que, nos carros flex antigos, os sistemas eram mais demorados e tinham menos funções para reconhecer. O sistema de injeção não levava em consideração, por exemplo, a função da bóia de combustível. Essas limitações fizeram com que o reconhecimento de combustível não fosse encontrado ou que essa readaptação de combustíveis não fosse totalmente executada no veículo. Atualmente toda tecnologia existente nos modelos auxiliam no desempenho através da descoberta da onde está vindo o problema.

Gostou deste artigo? Compartilhe em suas redes sociais para que mais pessoas saibam sobre essas dicas importantes ao trocar de combustível em um carro flex!

You may also like...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *